Make your own free website on Tripod.com

Joven Comunista

 

 

Pensamentos e texto de Ernesto Che Guevara.

O Jovem Comunista

Eu creio que a primeira coisa que deve caracterizar um jovem comunista é a honra que sente pôr se jovem comunista . Essa honra que o leva a mostrar perante todo o mundo sua condição de ser jovem comunista, que não o submete a clandestinidade, que não o reduz a fórmulas, mas que ele manifesta em cada momento, que lhe sai do espírito, que tem interesse em demostrar porque é o seu símbolo de orgulho.

Junta-se a isso, um grande sentido do dever para com a sociedade que estamos construindo, para com nossos semelhantes como seres humanos e com todos os homens do mundo.

Isso é algo que deve caracterizar o jovem comunista. Paralelamente a isso, uma grande sensibilidade perante a todos os problemas, grande sensibilidade em relação a injustiça; espírito inconformado cada vez que surge algo que está mal, tenha-o dito quem o disser. Pôr em questão tudo o que não se perceber e pedir aclaração do que não estiver claro; declarar a guerra ao formalismo, a todos os tipos de formalismo. Estar sempre aberto para receber as novas experiências, para conformar a grande experiência da humanidade, que leva muitos anos avançando pela senda do socialismo, as condições concretas do nosso país, as realidades que existem em Cuba: e pensar todos e cada um como irmos mudando a realidade, como a melhorarmos.

O jovem comunista deve se propor ser sempre o primeiro em tudo, lutar pôr ser o primeiro, e se sentir incomodado quando em algo ocupa outro lugar. Lutar sempre pôr melhorar, pôr ser o primeiro. Claro que nem todos podem ser o primeiro, mas sim estar entre os primeiros, no grupo da vanguarda, Ser um exemplo vivo, Ser o espelho para os companheiros que não pertencem as juventudes comunistas, Ser o espelho onde possam olhar-se os homens e mulheres de idade mais avançada que perderam certo entusiasmo juvenil, que perderam a fé na vida e que ante o estímulo do exemplo reagem sempre bem .Eis outra tarefa dos jovens comunistas.

Junto a isso, um grande espírito de sacrifício, um espírito de sacrifício não somente para as jornadas heróicas, mas para todo momento. Sacrificar-se para ajudar ao companheiro nas pequenas tarefas, E que possa cumprir o seu trabalho, para que possa cumprir com o seu dever no colégio, no estudo, para que possa melhorar de qualquer maneira. Estar sempre atento a toda as pessoas que o rodeia. Quer dizer: apresenta-se a todo jovem comunista a tarefa de ser essencialmente humano, ser tão humano que se aproxime ao melhor do humano, purificar o melhor do homem pôr meio do trabalho do estudo, do exercício de solidariedade continua com o povo e com todos os povos do mundo, desenvolver ao máximo a sensibilidade até se sentir angustiado quando um homem é assassinado em qualquer lugar do mundo e para se sentir entusiasmado quando em algum lugar do mundo se levanta uma nova bandeira de liberdade.

O jovem comunista não pode estar limitado pelas fronteiras de um território: o jovem comunista deve praticar o internacionalismo proletário e senti-lo como coisa própria. Lembrar-se, como devemos lembrar-nos nós, aspirantes a comunistas aqui em Cuba, que somos um exemplo real e palpável para toda nossa América, e mais que para nossa América, para outros países do mundo que lutam também em outros continentes pôr sua liberdade, contra o colonialismo, contra o neocolonialismo, contra o imperialismo, contra todas as formas de opressão dos sistemas injustos; Lembrar sempre que somos uma tocha acendida, de que nós todos somos o mesmo espelho que cada um de nós individualmente é para o povo de Cuba, e somos esse espelho para que se olhem nele os povos da América, os povos do mundo oprimido que lutam pôr sua liberdade. E devemos ser dignos desse exemplo. Em todo momento e a toda hora devemos ser dignos desse exemplo.

Isso é o que nós pensamos que deve ser um jovem comunista. E se nos disserem que somos românticos, que somos idealistas inveterados, que estamos pensando em coisas impossíveis, e que não se pode atingir da massa de um povo que seja quase um arquétipo humano, nós temos que contestar, uma e mil vezes que sim, que sim se pode, que estamos no certo, que todo o povo pode ir avançando, ir liquidando intransigentemente todos aqueles que ficarem atrás, que não forem capazes de marcharem ao ritmo a que marcha a revolução cubana Tem que ser assim, deve ser assim, e assim será, companheiros. Será assim, porque vocês são jovens comunistas, criadores da sociedade perfeita, seres humanos destinados a viver num mundo novo de onde terá desaparecido de vez todo o caduco, todo o velho, todo o que representar a sociedade cujas bases acabam de ser destruídas. Para atingirmos isso tem que trabalhar todos os dias. Trabalhar no sentido interno de aperfeiçoamento, de aumento dos conhecimentos, de aumento da compreensão do mundo que nos rodeia. Inquirir e averiguar conhecer bem o porquê das coisas e colocar sempre os grandes problemas da humanidade como problemas propios.

Assim, em um momento dado, em um dia qualquer dos anos que vem após passarmos muitos sacrifícios, sim depois de termos porventura visto muitas vezes a beira da destruição, depois de termos porventura visto como nossas fábricas são destruídas e de tê-las reconstruído novamente, depois de assistirmos ao assassinato, a matança de muitos de nos e de reconstruirmos o que for destruído, o fim de isso tudo, um dia qualquer, quase sem repararmos, teremos criado, junto dos outros povos do mundo, a sociedade comunista, o nosso ideal.

Che

Não há fronteiras nesta luta de morte, nem vamos permanecer indiferentes perante o que aconteça em qualquer parte do mundo. A vitória nossa ou a derrota de qualquer nação do mundo, é derrota de todos."

Che

 

O socialismo não é uma sociedade beneficente, não é um regime utópico, baseado na bondade do homem como homem. O socialismo é um regime a que se chega historicamente e que tem pôr base a socialização dos bens fundamentais de produção e a distribuição eqüitativa de todas as riquezas da sociedade, numa situação de produção social. Isto é ,a produção criada pelo capitalismo: as grandes fábricas, a grande pecuária capitalista, a grande agricultura capitalista, os locais onde o trabalho humano era feito em comunidade, em sociedade; mas naquela época o aproveitamento do fruto do trabalho era feito pelos capitalistas individualmente, pela classe exploradora, pelos proprietários jurídicos dos bens de produção."

Che

" Esta é uma revolução singular em que alguns viram uma contradição com uma das premissas mais ortodoxas do movimento revolucionário, assim expressa pôr Lênin: "Sem teoria revolucionária ,não existe movimento revolucionário". Convém dizer que a teoria revolucionária, como expressão de uma verdade social, está acima de qualquer enunciado; isto é a revolução pode ser feita se a realidade histórica for interpretada corretamente e se são corretamente utilizadas as forças que nela intervêm, mesmo que se desconheça a teoria."

Che

O mérito de Marx é que produz imediatamente na história do pensamento humano uma mudança qualitativa; interpreta a história, compreende sua dinâmica, prevê o futuro, mas, além de prevê-lo, e ai cessaria sua obrigação científica, expressa um conceito revolucionário: não basta interpretar a natureza, é preciso transforma-la .O homem deixa de ser escravo e se converte em arquiteto de seu próprio destino. Neste momento, Marx converte-se em alvo obrigatório de todos aqueles que têm interesse especial em manter o velho."

Che

"E quando se fala de poder pela via eleitoral, a nossa pergunta é sempre a mesma: se um governo popular ocupa o governo de um país pôr ampla votação popular e resolve, consequentemente, iniciar as grandes transformações sociais que constituem o programa com que triunfou, não entraria em conflito com as classes reacionárias desse país?"

Che

Não nego a necessidade objetiva do estímulo material, mas sou contrário a utiliza-lo como alavanca impulsora fundamental. Porque então ela termina por impor sua própria força ás relações entre os homens."

Che

Devo dizer, correndo o risco de parecer ridículo, que o verdadeiro revolucionário é guiado por grandes sentimentos de amor. È impossível pensar num autêntico revolucionário sem esta qualidade. Talvez seja um dos grandes dramas do dirigente; este deve unir a um espírito apaixonado uma mente fria, e tomar decisões dolorosas sem que nenhum músculo se contraia. Os nossos revolucionários de vanguarda têm de idealizar esse amor aos povos, ás causas mais sagradas e torná-lo único indivisível. Não pode mostrar sua pequena dose de carinho cotidiano tal como o faz o homem comum"

Che

 

Voltar